quarta-feira, 19 de julho de 2017

Youkoso Jitsuryoku #1 e #2 | Análise Semanal


Youkoso se mostra muito interessante pela forma de abordar o seu plot sobre um survivor escolar com uma pitada de reflexões morais.

Não é a toa que tanto no início dos episódios até então lançados ,como durante a abertura, são exibidas diversas frases e pensamentos de filósofos e pensadores sobre o comportamento do ser humano; E pelo mesmo motivo não foi a toa que passaram uma introdução à estreia com uma aparente rude e estranha cena de um aluno não querendo ceder lugar para uma idosa no ônibus. A série tenta trabalhar como background os temas sobre o comportamento individual das pessoas e a forma como isso se desdobra e interfere nas relações interpessoais.

A obra poderia muito bem contemplar somente o roteiro sobre a escola em que todos devem sobreviver sendo os "melhores" possíveis, o que por si só já poderia ser interessante se bem conduzido e fazer uma história em cima disso. Mas o ponto diferencial até então para Youkoso é a forma como isso tudo é tratado na visão de um protagonista niilista, com profundas (mesmo que venham de um adolescente que tenha sua própria visão sobre as coisas) reflexões sobre o comportamento alheio. Haja quem ache isso chato para caramba! Mas essa é a personalidade aparente para o protagonista Ayanokouji.


Em meio a tantas personalidades e esteriótipos dos personagens secundários, o anime se apresenta com um elenco principal indiferente e mais frio nas suas relações sociais, quase céticos e moralistas no que diz respeito de sua sala, cheia gente que é praticamente classificada como "mais do mesmos, pessoas normais fazendo coisas triviais." O episódio inicial, de ritmo bem lento, preparou razoavelmente o terreno para o que aconteceria a seguir; a introdução do protagonista com aquela voz de dar sono e da sua colega ainda mais fria Horikita foram feitos em meio a vários devaneios do resto da classe em gastar aqueles malditos pontos como bem entender para então um certo impacto ocorrer em sequência.

Após um início um tanto devagar como esse, o segundo episódio veio com um desenvolvimento mais conturbado e interessante, como era de se esperar de um elenco destes. Após a terrível revelação de que a turma é a pior e que conseguiram zerar os pontos mensais, e toda explicação da professora de como realmente as coisas acontecem naquela utópica escola, começou alguma progressão.


A garota toda tola que vai, querendo ou não, ajudar nos protagonistas a melhorarem suas relações interpessoais.

A protagonista feminina, Horikita, já teve seu desenvolvimento base bem estabelecido para esclarecer o porquê da menina ser assim: como até esperado, ela sofre uma enorme pressão pelo irmão mais velho ser uns dos "top stars" da escola e por esta causa tenta ser mais estrategista e fria do que o normal para não perder tempo com pessoas banais, tentando focar apenas no que visa os seus objetivos. O interessante é que já ficou nítido que tanto uma melhora das relações sociais dela, como do protagonista que já não tem tanto problema assim - mas que prefere ser mais observador, serão necessários para uma eventual mudança da situação daquela turma - em que todos devem "colaborar para um bem maior".

O final desse segundo episódio com os resultados bons da turma sobre a prova ficou como um ponto de interrogação. Deram uma pulada para essa cena sem mostrar os desfechos ocorridos, e o protagonista parece ter envolvimento nisso. Será que Horikita resolveu colaborar em ser menos rude para ajudar aqueles que menos tinham condições de ir bem nas provas? Ao menos, toda colaboração e socialização será necessária para o objetivo principal que os personagens têm em mente, mesmo que forcem o coletivo pelo individual. É sobre isso que o anime se trata.

Avaliação - Episódio 1: ★ ★ ★ ★ ★ (+) 

Avaliação - Episódio 2: ★ ★ ★ ★ ★ (+++) 

Extra


Não me surpreende que o protagonista mesmo sem a prática de esportes/clube seja habilidoso fisicamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


HGS Anime - 2016