Primeiras Impressões Animes Julho/Verão/Summer 2017 - HGS Anime HGS Anime: Primeiras Impressões Animes Julho/Verão/Summer 2017

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Primeiras Impressões Animes Julho/Verão/Summer 2017


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 16/07 - 11:05
Esse post contém análises das estreias dos animes da temporada de abril de 2017 feitas por mim e pelos outros redatores que se interessarem a assistir e comentar algo.

O histórico de edições está ao final do post.

Opinem e discutam nos comentários quais são as melhores estreias para vocês leia sobre o redator com quem você tem a opinião mais parecida! Se quiser a recomendação de um anime procure pelos que têm nota 3.5 para cima.

***


Séries Anime: 



Katsugeki Touken Ranbu

Fonte: Card Game
Gênero: Ação, Fantasia
Diretor: Toshiyuki Shirai
Estúdio: Ufotable  (Fate UBW, Tales Of Zestira: The X)
Episódios: --

Sobre: Versão Ufotable do anime. No game, os jogadores assumem o papel de um Saniwa sábio que viaja ao passado para derrotar as forças do mal que estão tentando mudar o curso da história. Como um sábio, o jogador tem a capacidade de dar vida a objetos inanimados, incluindo famosas espadas históricas.

Comentários

Gapso: Minhas expectativas foram cumpridas. O visual de Katsugeki está maravilhoso como de praxe do estúdio, e as cenas de batalha em geral não poderiam estar mais elegantes e enfeitadas com a ótima arte digital da Ufotable. A estilização geral, até nas cenas que a abertura entrega como prévia, está muito bem feita. Nada mais do que o esperado.

Sobre a história, que era o ponto a se temer, parece até bem interessante. Colocaram em prática a premissa do game que envolve aquelas espadas guerreiras que vão para o passado salvar a era das intermediações/alterações que um certo grupo está tentando fazer. Estão segundo arisca o plot que a outra adaptação não fez. Também exploraram o drama de já saberem o que ocorre na história mas mesmo assim não poderem evitar tragédias já que assim eles mesmo estariam fazendo alterações na história, deram uma ênfase um tanto pesada nessa parte (mesmo que tenham aparentemente mudado de ideia logo depois).

Os cinco espada-guerreiros (vou chamá-los assim porquê me convém) parece bem carismáticos - embora o mestre seja um baita molecão. Esse início ao menos já se mostrou mais interessante do que Zestiria, então podem assistir a estreia sem medo de decepcionar com a história.  Mesmo que tenha sido um início um tanto morno, já deram ideia de como será daqui por diante com todos esses personagens interagindo entre sim, alá servos de Fate, para derrotar um exército juntos. Nota: 4/5

Aria: Cai de paraquedas nesse anime e encontrei uma ótima animação combinando 2D e CG de um modo que os animes normais evitam ao máximo, pelo medo de destoar, já a Ufotable não tem esse problema, a trilha sonora é forte, casou bem ao tema do anime, a história me interessou muito, viagem no tempo e altas batalhas.

Vale dizer eu não estou acostumando com animes de ação, então ao meu ver, é uma estreia agitada com muitas batalhas, logo recomendo aos fãs de ufotable ou aos que gostam muito de ação, sem dúvida adorará esse anime. Contudo temos um bônus um tanto curioso, a ufotable tem um elenco formando apenas por homens, nesse primeiro episódio, e alguns com cabelos longos de samurai e afeminados, logo as semelhanças não podem ser mera coincidência, existe um público alvo no anime diferente, existe algo para as fujoshi shiparem, deixando a impressão de josei, então para as fãs desse estilo podem se agradar desse aspecto.

Eu não gostei dessa característica, esperei durante o anime todo o instante que uma garota ia surgir, e no máximo teve aquela do restaurante que foi logo podada, então eu me decepcionei ao não ver o meu fanservice no anime e estou na dúvida se acompanharei o anime. Nota: 3.3/5


Fate/Apocrypha

Fonte: Mangá
Gênero: Ação, Histórico, Sobrenatural, Magia, Fantasia
Diretor: Yoshiyuki Asai (Charlotte)
Estúdio: A1-Pictures (Sword Art Online, Kimi no Uso)
Episódios: 23/24/25/26 (2 Cours)

SobreNo universo de Fate/Apocrypha o Graal foi removido de Fuyuki pelos nazistas. O grupo que saqueou o Graal, Yggmillennia, declara sua separação da Associação dos Magos e declarando a sua posse do Graal. Começa então uma Grande Guerra do Graal em Trifas na Romênia, com duas facções diferentes, a Facção Negra, cujos membros fazem parte da Yggmilennia, e a Facção Vermelha que representa os magos enviados pela Associação dos Magos. O Graal também convoca um Ruler para agir como mediador na Guerra. Saiba mais aqui.

Comentários

Gapso: Estreia bem objetiva em mostrar e introduzir literalmente toda a situação, explicar os acontecimentos e já abordar os novos mestres fazendo invocação de seus servos em ambos times (vermelho e preto) para a Nova Grande Guerra do Graal. A A1-Pictures não me decepcionou em nada no que foi mostrado nesse episódio inicial, esbanjaram sakugas até não poder mais e a luta nos minutos iniciais consegui impactar e dar um gosto do que virá nas próximas cenas de ação. Espero que mantenham essa consistência até o fim. 

Foi um ótimo episódio de estreia, que até deu a impressão de ser rushado pelos acontecimentos terem sido tão brevemente explicados e ocorridos, mas acredito que a obra original tenha começado assim também (posto estar totalmente errado). Enfim, foi uma ótima estreia no geral e recomendo a todos darem uma olhada (se já conhecerem os animes de Fate será melhor para entender). Nota: 4.1/5

Aria: Eu não sou fã aficionado de ação, por isso escolho a ação em fate, pois vem com muitos diálogos e vários debates, e quando é para batalhar fazem com estilo, Fate/Apocrypha começa com vários minutos de ação, dando um show em animação e efeitos sonoros e depois entramos na trama.

A estreia conseguiu abordar o universo, explicar seus motivos e criar o plot principal pelo uso de muitos diálogos, temos então uma guerra do cálice um tanto diferente, que só pelo número é surpreendente são 14 Sabers, existem diversas referências aos outros Fates, mas isso não é usado para o entendimento da série e qualquer um sem ver os Fates anteriores pode assistir que entenderá.

Os Sabers usados e seus visuais são mantidos e estão bonitos, ainda não houve problemas na animação, mas recomendo cautela, e eu indico esse anime para dois tipos de pessoas fãs da série ou pessoas que ainda não enjoaram do estilo, pois a história não muda os padrões, e para os amantes de ação e trama elaborada, mantendo esses pontos em mente qualquer um pode aproveitar Fate, que é uma série grande e complexa. Nota: 3.7/5

Maya: A estreia é bastante ansiosa, começando com uma cena de ação dentro de uma grande batalha, mostrando uma animação bem fluida, com bons efeitos e uma arte muito bonita... E em seguida vem uma enxurrada de informações apresentando os dois lados dessa guerra que se inicia e vários personagens...

A quantidade de informações prejudica um pouco o ritmo inicial e é um tanto expositiva demais, principalmente se tratando do lado negro, mas temos rostos diferentes e personalidades interessantes que dão um gás inicial que não tem no Fates da ufotable. Apesar de acelerado, o episódio vai causando interesse e seus momentos finais são bem empolgantes.

O ritmo precisa ser diminuído, mas se o anime manter essa narrativa mais focada, há uma boa chance de termos um Fate mais dinâmico. Nota: 3.8/5


New Game!! 2

Fonte: 4koma Mangá
Gênero: Comédia, Slice of Life
Diretor: --
Estúdio: Dogakobo (Himouto! Umaru-chan)
Episódios: --
PV

Sobre: Segunda temporada. Conta a história de Aoba Suzukaze, uma garota que acabou de terminar o ensino médio e começou a trabalhar numa empresa de jogos. Para a felicidade de Aoba, essa empresa é a responsável pela criação do jogo que ela mais ama desde a infância.

Comentários

Gapso: New Game voltou com o mesmo fanservice moe, qualidade visual e comédia da primeira temporada. Se mantém bem consistente para quem gostou da primeira temporada. Dessa vez a protagonista já é mais experiente, mas continua sendo a novata do local. Nota: 3.5/5

Aria: A volta do anime moe com garotas programando, modelando, rindo, dormindo de calcinha, jogando paintball, ou resumindo vivendo e sendo engraçado. O anime mantém sua maior essência o cotidiano e não introduz nenhum personagem novo, sua forma de ser engraçado não muda e sua animação se mantém.

Então para fãs da primeira temporada é obrigatório ver e é garantido o não arrependimento, para os que não a viram, é simples estamos diante de um slice of life moe de comédia que deu muito certo e tem agradando muitos fãs, sua comédia é bem flexível e não faz tanto uso do fanservice, existe também um drama que circunda todos os personagens, normalmente algo envolvendo a produção do game, que ajuda a coordenar a história e deixar tudo mais interessante.

O seu lado slife of life, como de costume não trabalha algo grandioso e nem algo surreal, todas as situações são simples e algumas normais, respeitado ao acaso (ter uma fã de paintball), porém algo que pode pegar as pessoas de surpresa é ele não aborda a produção de games em si, então ele não ensina como é esse processo igual a Shirobako para a produção de animes, apesar dele mostrar várias características desse mundo, computadores, códigos, bugs e até faz piadas sobre bugs. Nota 3.8/5.


Gamers!

Fonte: Light Novel
Gênero: Comédia, Romance, Escolar
Diretor: Manabau Okamoto
Estúdio: Pine Jam (Getsuyoubi no Tawawa)
Episódios: 12
PV

SobreA história desenrola-se à volta de um estudante chamado Keita Amano cujo hobby é jogar. Um dia, ele é convidado para o clube de jogos pela presidente, Karen Tendo, que é conhecida como a menina mais bonita da escola.

Comentários

Gapso: Gamers estreou com uma introdução bem diferente e divertida sobre a personalidade dos personagens com os spoilers cômicos piscando na tela a  cada apresentação. O protagonista é meio paspalho por ser indeciso, mas ocasiona algumas cenas bem legais quebrando frases estereotipadas devido a ele pensar uma coisa e dizer outra.

O elenco de personagens parece bacana e a forma como ambientaram o club com os personagens jogando, e falando que participam de competições, foi bem legal. Acho essencial em um anime desse tipo mostrarem cenas deles de fato jogando, mesmo que seja só com alguns frames do game em questão na tela. É assim que a imersão à série fica funcional. 

Recomendo darem uma olhada, a estreia no geral foi legal com um visual bacana. O anime vai proporcionar uma boa comédia e quem sabe algum romance: Nota. 3.7/5

Maya: O primeiro episódio de um anime tem uma grande importância para mostrar os seus valores técnicos... Muitas vezes os diretores confundem isso com qualidade de animação ou total inserção do publico em algum mundo extraordinários, através de um monte de informações. Mas não é isso! Nesse primeiro episódio de Gamers, o diretor consegue impor um ritmo na medida certa. aqui as coisas acontecem quase que naturalmente e mesmo apresentando quase toda a sua cartela de personagens, são também, apresentados de maneira natural. As sequências das cenas aqui são curtas, mas sem serem corridas e as transições entram no tempo certo. Alias, o time do anime para a comédia também é muito bom, não é uma comédia escrachada ou nonsense, a comédia aqui, ao menos nesse episódio, é bem leve.

Gamers tem uma estreia suave e ao mesmo tempo, bem recheada, consegue traçar um objetivo e provavelmente o anime deve se manter nesse ritmo e tom. O mais importante é que conseguiu ser bem agradável e divertido, ao mesmo tempo em que tecnicamente o anime promete uma estabilidade narrativa alem de estar nas mãos de um diretor faz uma estreia aparentemente empolgado e com bastante recursos a serem usados. Nota: 4/5

Knight's & Magic

Fonte: Light Novel
Gênero: Ação, Fantasia, Escolar, Mecha
Diretor: Yuusuke Yamamoto (B-gata H-kei)
Estúdio: 8bit (Grisaia, Rewrite)
Episódios: --

SobreA história segue um protagonista (sim, é um menino na capa ao lado) viciado em mecha que morre em um acidente de carro e reencarna num mundo de fantasia, entrando para uma legião de cavaleiros que pilotam uma unidade mágica que assemelha-se com mechas e participando de vários eventos.

Comentários

Gapso: A narrativa e o desenvolvimento mostrados na estreia foram muito bacanas, transfiguraram desde o protagonista como um otaku na vida real, até sua morte e quando ressuscitou como um garoto ainda apaixonado por mechas nesse isekai. Foi bem interessante mostrarem vários trechos da infância dele desde o primeiro contato com essas unidades mágicas que parecem mechas e a sua gradativa evolução como aluno interessado em montar em um desses robôs, a exploração sobre os conceitos de magia e da escola também foram legais, embora esse mundo em si seja estranho pelos animais gigantes/modificados que apareceram aleatoriamente.

O CG está melhor do que o apresentado anteriormente pela 8bit em Rewrite, mas tenho minhas duvidas quanto a consistência mantida. Ainda assim, também não me agrada muito ver um bando de monstro e máquinas gigantes tomando conta da tela ela maior parte do tempo. O design de personagens é bem simples e o protagonista realmente tem uma tremenda cara de trap, é bem estranho.

No geral eu recomendo darem uma olhada tanto se gostam de mecha e isekai ou se estão curiosos para ver a junção disso. A narrativa e a história aparecem interessantes, só duvido de como aparte visual irá se manter. Nota: 3.35/5

Maya: Primeiro episódio me surpreendeu com uma animação bem fluída até e com um design detalhado e bonitinho. Os efeitos mágicos são bem feitos e bonitos também e os mechas, pra minha surpresa, possuem uma textura muio legal, com marcas de arranhões e ferrugem. Claro, eles são feitos em CGI, mas ainda bem surpreendente, pois a maioria dos animes com mechas trazem texturas foscas ou lisas que são feias, porém a produção aqui não economizou nos detalhes e apresenta mechas realmente bonitos.

Ainda assim é CGI, o que não seria problema se os mechas e bestas não ficasse tão artificiais nos cenários. E, como um frequente problema nos animes que usam CGI, esse também possui o incômodo nível baixo de frames. E apesar da arte ser boa tanto na parte 2D como 3D, tem uma paleta de cores brega que desvalorizam o visual.


E assim com muitas estreias que vemos em toda temporada, Knight's & Magic comprime tanta coisa em seu primeiro episódio que mal temos tempo para criar empatia pelos personagens e digerir a quantidade de informações jogadas em nossa cara. É uma estréia sem foco, com um roteiro apressado que utiliza de clichês e seus deuses ex machinas para construir de forma preguiçosa seus personagens e a ligação entre eles. Nota: 2/5

Hajimete no Gal

Fonte: Mangá
Gênero: Comédia, Romance, Escolar
Diretor: Hiroyuiki Furukawa (Okusama ga Seitokaichou!)
Estúdio: NAZ (Hamatora The Animation)
Episódios: 10

Sobre: Acompanha a história de um estudante normal que se confessa para uma das garotas mais bonitas da escola, que todos acham que é uma pervertida por dentro. Depois de acabar se confessando, o protagonista descobre que ela é mais inocente do que imaginava enquanto tentam conhecer melhor um ao outro, com várias fantasias do garoto que pensa em perder sua virgindade. 

Comentários

Aria: O anime é de comédia baseado em sexualismo, temos sua comédia sustentada por dois pilares as conversas sexuais, nos locais mais errados na sala de aula, e a vergonha alheia do protagonista ao enfrentar a Gal ou namorá-la.

Logo para a pessoa rir nesse anime deve existir empatia nas conversas ou identificação, por exemplo pensar igual aos pervertidos da sala, caso contrário será apenas algo chato e repetitivo e apoiar se na parte sexual não é indicado, pois mesmo na versão sem censura, ainda tem restrições se comparado a versão de BD que virá.

A animação está na média, com ênfase melhor nas suas posições de câmera, existem minutos focando na calcinha da Gal, o que nos leva ao significado de Gal, garota com estilo mais voltado aos padrões ocidental, ou seja, shortinho e etc (meu conhecimento de moda acabou!), porém no anime o termo é expandido sendo empregado como se fosse biscate.


A história não precisa caminhar numa direção real, só precisa criar situações engraçadas, então não crie expectativas de um romance bom, nem teve o romance, isso pode desagradar e ainda não se pode esperar algum sentido nos relacionamentos, vale dizer a comédia funcionou perfeitamente comigo e vi a versão uncensored. Nota: 3.4/5

Ballroom e Youkoso

Fonte: Mangá
Gênero: Esporte, Comédia, Romance, Shounen
Diretor: Yoshimi Itazu (Pigtails)
Estúdio: Productions I.G (Haikyuu!!)
Episódios: --

SobreA história é sobre um estudante do ensino médio, Fujita Tatara, que não conseguia encontrar qualquer objetivo na vida e passava o tempo sempre de braços cruzados. Certo dia, um grupo de delinquentes arranja uma luta com o garoto e ele é salvo por um homem misterioso. O homem o leva para uma aula de dança de salão. Enquanto é inspirado por um dançarina que estuda em sua escola, Hanaoka Shizuku, e seu parceiro, um dançarino genial, Hyoudou Kiyoharu, Tatara começa então a dedicar sua juventude a dança esportiva.

Comentários

Gapso: Estreia bacana com uma boa introdução da história, já abordaram fonte da inspiração do protagonista pela dança, foi interessante a forma como ele acabou descobrindo sobre aquele salão embora seja por uma ilusão de um romance que nunca acontecerá. Os personagens são interessantes no geral (embora o professor seja meio fdp por querer ferrar com o novo aluno só porque ele sonhou alto demais sem querer), e o desdobramento do episódio foi bom com a resistência do protagonista pelo esporte que o encantou. 

A parte visual do anime está bonita e bem animada, porém os pescoços dos personagens se sobressaiam muito nas coreografias ao mesmo tempo que os corpos também ficam incosistentes ou muito curvos por causa da dificuldade fisionomica de animar. Embora seja entendível a parte sobre a animação, ainda pode será bem incomodo esses pescoços exageradamente grandes até que eu consiga me acostumar (alguns se incomodam mais do que outros).

Eu recomendo para quem procura um anime bem produzido sobre dança/esporte ou uma comédia romântica que até onde sei não desenvolve quase nada de romance. O único obstáculo, no entanto, será se acostumar com esses pescoços, mas vai de cada um. Nota: 3.6/4

Maya: As vezes ficamos tão entusiasmados quando um mangá que gostamos ganha anime, ainda mais se tratando de um estúdio grande como a P.I.G. (Ou porquinha para os mais íntimos) que no momento em que nossas expectativas são quebradas, o baque é maior. Visualmente o anime tem prós e contras (mais contras do que prós), entregando um character bem detalhado, mas muito inconsistente resultando em desproporções físicas visivelmente horríveis (e não me refiro só ao pescoço). Já animação é fluída, porém enganosa, entregando algumas cenas estáticas quando esperávamos movimento e com algumas cenas de dança não muito orgânicas. E a paleta de cores agridoce não tem nada a ver com um anime que deveria exaltar a alegância. Não acredito que a produção tenha algum problema no orçamento que impeça uma boa animação, tem umas cenas realmente boas no episódio que me fazem acreditar que o problema em entregar alguma cena satisfatória dos personagens dançando, talvez o estúdio não esteja preparado para fazer um anime dese tema... Ao menos, o diretor claramente está despreparado!

A direção aqui toma muitas decisões ruins, faz vários micro cortes do conteúdo original quebrando a naturalidade das cenas, deixando elas corridas e algumas sem nexo. Há inclusive cenas mal interpretadas que foram modificadas no anime sem razão. E se o diretor já não era ruim o bastante, a produção vem com um trio decepção de seiyuus que não combinam em nada com os personagens: Sengoku, um jovem de 20 e poucos anos com uma voz de velho e fumante, Tatara com uma voz desafinada e estridente e Shizuku que deveria passar um ar de maturidade, com uma voz de uma loli tsundere.

Isso não quer dizer que Ballroom é, ou vai ser ruim, a série pode melhorar muito nos episódios seguintes dependendo do que vão mexer na história e de entregar danças realmente bonitas de se ver. Entretanto, sua estreia é tecnicamente desastrosa e entrega um resultado muito abaixo do que esperávamos de um estúdio grande como a P.I.G. 
Nota: 2.2/5

Dive!!

Fonte: Novel
Gênero: Esporte, Comédia
Diretor: Kaoru Suzuki (Hellsing)
Estúdio: Zero-G (Tsugumomo, Battery)
Episódios: --

Sobre: O clube de natação Mizuki Diving Club está à beira de fechar depois de ter problemas financeiros. O novo treinador do clube insiste para que o clube permaneça aberto sobre uma condição: Envie um dos seus membros para as Olimpíadas do próximo ano como parte da equipe olímpica do Japão.

Comentários

Gapso: Devo separar dois conceitos sobre essa estreia: o plot, e o episódio.

O plot do anime, até então apresentado, pode ser bem interessante envolvendo um desenvolvimento pessoal do protagonista, ao mesmo tempo que pode fazê-lo evoluir no esporte (salto na piscina) e desenvolver o então esquecido club de natação. O protagonista estranhamente tem um problema com a namorada, e pelo que deu a entender, ele está com ela mas não gosta da garota. É um problema e tanto do caráter do personagem, mas só o restante da série dirá se isso vai cair em uma falha enorme da obra ou não.

Agora, sobre o episódio: foi mal construído. O início dele estava servindo até de uma razoável introdução com aqueles belíssimos cenários da quadra de esportes e das piscinas, com o bom uso do CG, mas o meio do episódio se perdeu em um estranho e confuso flashback que posteriomente foi ligado ao  caso do protagonista com sua namorada. O final do episódio dá uma melhorada com a chegada da nova treinadora no entanto, e é dali que o plot se mostra que talvez possa ser interessante - embora não dá para saber o que vem por aí do diretor de Battery.

O visual no geral está muito bonito, incluindo o design dos personagens, mas ainda me soa estranho a maioria daqueles garotos nadadores com cara de arrogância (um deles, inclusive, é idêntico ao Levi de SNK).  É esperar para ver como será os próximos episódios para ter certeza do que está por vir. Nota: 3/5

Maya: O episódio já começa nos amaldiçoando com uma Opening tão ruim que parece ter sido gravada dentro de um Karaokê. Ok, já vi que isso é um mal sinal...

Eu deveria ter me prevenido antes e ter visto que era o mesmo diretor de Battery, mas não demorou muito a perceber devido a semelhante e apática narrativa junto de personagens patéticos o suficiente pra não conseguir lembrar nem o nome deles durante o próprio anime. Culpa do diretor, ele é ruim!

A animação aqui é muito inconsistente deixando os personagens com as faces e corpos disformes. Já os saltos em si não são ruins, podemos ver todo o movimento dos personagens e até certo ponto já é aceitável... 
Dive é um anime que já estreia se arrastando, sem criar empatia e é mal dirigido, recomendado apenas pra quem gosta muito de natação ou esportes em geral e tem um tempo de sobra... Nota: 2/5

 Koi to Uso

Fonte: Mangá
Gênero: Drama, Romance, Escolar
Diretor: Seiki Takuno (Yamada-kun to 7-nin)
Estúdio: Liden Films (Yamada-kun to 7-nin)
Episódios: --

SobreA história se passa em um futuro próximo, em que quando os jovens no Japão completam dezesseis anos são atribuídos a um parceiro de casamento pelo governo. As pessoas não têm que passar pela dificuldade de olhar para alguém, e todos aceitam que o país vai encontrar um parceiro compatível para torná-los felizes. Yukari Nejima tem quinze anos, mora em uma pequena cidade no canto do país, e simplesmente não consegue ir para a frente na vida. Tanto academicamente e atleticamente ele está abaixo da média. Mas, em seu interior, ele esconde um coração ardente de paixão.

Comentários

Gapso: Boa estreia. Exploraram bem o conceito desse mundo em que o governo estipula os casais quando os jovens fazem 16 anos. Ficou interessante como os personagens já estão acostumados com esse modelo, mas não o aceitam realmente. A transparência e naturalidade em aceitar que é assim mesmo que seja horrível, ficou interessante e ocasionou uma boa ambientação.

A estreia já foi impactante pela confissão do protagonista para a sua amada que corresponde a ele, tem até cenas muito bonitas dos dois juntos - embora ele não tenha muito mérito nisso, é meio lerdo. Já colocaram também a problemática nesse final fazendo o protagonista ter que namorar outra garota, mesmo com o aviso do governo pelo celular apontando para a menina que ele confessou, e isso vai ocasionar o desdobramento da série. Espero que não vire um triângulo amoroso cheio de traições, e que não foquem em ecchi (teve cenas um tanto mais picantes em alguns momentos do episódio em relação ao jeito do casal se beijar).

No geral foi uma ótima estreia já causando impacto e dando até um certo dó do casal principal. Já montaram o romance, e os problemas que vão enfrenta agora. O único empecilho, talvez, seja o estranho design de personagens. Recomendo.Nota: 4/5

Aria: Traduzindo o nome temos “Amor e Mentiras”, o anime mostrou exatamente esses pontos em sua estreia, mas as mentiras não vieram só do casal, essa é a parte interessante junto do romance existe algo a mais, que motiva eles a ficarem juntos e ver essa briga pelo romance deles é muito cativante.

Além disso é um anime que caminha para triângulos amorosos, por pessoas lideradas vez por seus sentimentos ou por notificações do "governo", isso traz um diferencial a trama, o autor consegue criar disputas e testar relações, com ênfase no testar.

Por outro lado a animação não convém dos padrões, os protagonistas têm olhos grandes (tamanhos cartoon), isso é estranho em primeiro instante e depois se torna mais normal, outro fator é a semelhança da protagonista com a de Kuzu no honkai, que apesar disso não é apontada por ter história similar de acordo por quem leu o mangá.

Por fim recomendo o anime para dois tipos de pessoas, às que gosta de romances e às que não tem paciência de esperar o protagonista ficar com a garota, pois a evolução do casal é rápida perto de outros animes, e no geral é uma estreia bem picante com cenas bem amorosas e frases até com teor sexual, porém não vejo esse anime tendo cena de sexo. Nota: 3.7/5


Hina Logi: From Luck & Logic (Spin Off de Luck & Logic)


Fonte: Mangá
Gênero: Slice of Life, Ação, Fantasia
Diretor: Seiki Takuno (Yamada-kun to 7-nin)
Estúdio: Dogakobo (Himouto! Umaru-chan)
Episódios: 12

SobreLiones Yelistratova, uma princesa pura de um país pequeno, entra em uma escola em Hokkaido em um dia de primavera. A escola é uma instituição educacional especializada operada pela ALCA para treinar logicalistas, que mantêm a paz mundial. Liones entra na classe S, onde conhece muitos colegas com personalidades únicas, como Nina. Uma vida diária animada e bonito começa agora.

Comentários


Gapso: Quem diria que o visual seria decente. O spin off é basicamente um bando de garotas moe em uma escola de magia que faz ligações com a série principal. Eles misturam assuntos relativamente sérios sobre os Logicalists e Foreigners (conceitos explorados na série principal, mas que foram brevemente introduzidos aqui também) com o cotidiano bobo e inocente da escola. A protagonista é a mais nociva de todas, e o resto do elenco também tem suas personalidades - voltando-se sempre para garotas mimadas. O notório foi a parte com mais açãom perto do fim do episódiom que trouxe alguns cortes bacanas com transformações e tentáculos cipós. Não houve nenhum CG envolvido e isso garantiu pontos positivos para animação que essencialmente é um bônus nesse anime. Se conseguirem se manter assim até o fim, vai agregar bastante já que a série foca na comédia de slice of life.

No geral a estreia foi ok com a apresentação e introdução da escola, da situação e das personagens, com um leve ponto positivo para o visual. A comédia deve funcionar para quem gosta daquele moe inocente e bobinho, ainda que os esteriótipos não fujam dos clichês. Então para os apreciadores do gênero eu recomendo dar uma olhada. Nota: 3.25/5

Aria: Eu não assistia a série principal e só conheço ela por este spin-off.

Hina logic é um anime de garotas em uma escola mágica com tudo o que esperamos desse estilo, os estereótipos (kuudere e outros), a surpresa é mais no fanservice com tentáculos, que se fará presente durante toda a obra, então para os aficionados em comédia mais garotas com uma pitada de ofurô, encontrará exatamente isso com o bônus de uma animação decente sem muito CG.

Ainda a estreia conseguiu explicar sua premissa, protagonista com passado e habilidades ocultas, o que para mim não me atraiu porque estou enjoado desse estilo, então recomendaria cautela para os que já viram muito desse gênero e esperam algo novo, para os novatos recomendaria o anime, pelo fato do clichê não incomodar muito.

No mais é só um anime do qual não acompanharei e que pode ser bom para muitos, aonde o mais interessante foi o fanservice, por causa dos tentáculos e de outras cenas, o design e as cores me lembra os de idols misturados aos do anime madoka. Nota: 3/5


Kakegurui


Fonte: Mangá
Gênero: Mistério, Psicológico, Drama, Escolar, Shounen
Diretor: Yuuichirou Hayashi (GARO: Honoo no Kokuin)
Estúdio: MAPPA (Shingeki no Bahamut)
Episódios: 12

SobreA história é sobre uma escola especial apenas para filhos de ricos, que permite aos estudantes fazerem apostas entre si com qualquer coisa em jogo. Os vencedores se sentem no paraíso nessa escola, porém para aqueles em débito a escola pode se tornar um inferno de tortura psicológica e física. Um garoto acaba de perder uma grande aposta, quando uma misteriosa estudante se transfere para a escola, o ajuda, e começa a realizar feitos inesperados.

Comentários

Gapso: A parte visual de Kakegurui é vislumbrante, a abertura tem um visual lindo, é da diretora de Yuri! On Ice. A animação quase não mostra cortes realmente fluídos, mas o estilo do anime está nas caras e bocas, além dos efeitos psicodélicos que são ajudados pela ost. A trilha sonora varia de um jazz distorcido até músicas pesadas de suspense e terror, o que colabora muito para o clima frenético da obra. Engraçado que além de várias cenas abruptas, focaram o CG nas roupas dos personagens também, o que deu um efeito estranho que colaborou com a estilização geral.

Agora falando da história que a estreia apresentou, serão várias e várias jogos altamente estimulados, os personagens são perturbadores e a protagonista principal uma grande sádica por apostas. A série em si é sádica. O humor é pesado e sombrio, vai ser um dos animes mais diferentes dessa temporada. Recomendo a todos darem uma olhada, ao menos as caras e bocas e a ótima abertura já valem a pena. Nota: 4/5

Aria: Um anime um tanto parecido com Kaiji com visual particularmente caprichado no rosto dos participantes, aonde no fundo da história temos aquela boa e velha tensão e medo que vimos em kaiji, ficamos com medo das perdas e das apostas, logo eu não ficaria surpreso se existirem mais castigos ou começarem a apostar coisas além de dinheiro, visto que a emoção do dinheiro já foi grande.

Os personagens têm uma personalidade um tanto paranoica em quase todos, então não é garantido simpatia com eles e muito menos compreensão, a estreia não abordou a trama principal do anime, ela revelou só o universo e as regras, não ficou claro qual o plot principal do anime, e caso ele não tenha, caminha para uma repetição igual aos animes de esporte.

A estreia também apresentou uns clichês, então para o anime melhorar ele precisa deixar de lado, e usar a imaginação, afinal ele tem potencial para ser um ótimo anime nessa temporada, pois sua produção está acima da média, só falta definir bem sua história. No geral é um anime que recomendo para os amantes de esporte e jogos de azar, pelos momentos bem construindo de tensão durante o anime, houve ainda um tipo de estratégia bem construída para trapacear nos jogos, que me agradou. Nota: 3.5/5

Maya: Quem conhece o mangá Gamble Fish deve ter sentido a semelhança com esse anime, porém o autor quis ousar ainda mais criando uma escola totalmente ambientada pela jogatina. Nem preciso mencionar o quão errada é essa "escola", lol.
A arte é muito bonita, com traços bem detalhados e um forte contraste, mas tem muitas caretas insanas que os personagens fazem, que pessoalmente não vejo graça. Já a opening eu amei totalmente, a música é bem legal, mas a arte é o que mais chama atenção.

São vários os pontos interessantes logo de inicio, como a prévia ambientação e a parte técnica do anime, entretanto ele escorrega bastante no ritmo do episódio, não consegue impor um clima de suspense e sequer há um senso de perigo, pois as coisas acontecem rápidas demais. O roteiro também se mostra bem expositivo, entregando de forma ansiosa as motivações dos personagens. Faltou mistério, clima e o principal... Criar em seu público uma empatia pelos personagens de maneira que não seja forçada. Não foi uma boa estreia, mas pode melhorar se diminuir o ritmo e trabalhar mais a atmosfera nos jogos. Nota: 3/5

Jikan no Shihaisha (Chronos Ruler)


Fonte: Mangá
Gênero: Sobrenatural, Shounen
Diretor: Masato Matsune (Chaos Dragon: Seikiryuu Seneki)
Estúdio: Project No.9 (Netoge no Yome)
Episódios: 12

SobreA história gira em torno de "Chronos Rulers", aqueles que lutam contra os demônios que comem o tempo que aparecem quando as pessoas desejam poder voltar no tempo. Os Chronos Rulers lutam uma batalha de manipulação do tempo contra esses demônios.

Comentários

Gapso: Qualquer seriedade que o anime tantou passar nos primeiros minutos foi frustrado em todo seu decorrer com todas as piadas fora de hora, deboche e diálogos idiotas dos personagens.

Já não fazia muito sentido o que tentava ser explicado ali, e em meio a essas piadinhas da dupla ficou realmente chato de assistir. Não tenho paciência para um anime que tenta mostrar alguma história séria mas que coloca vários personagens com atitudes infantis de bobo-alegres por aí.

A parte visual do anime é ok, as cenas animadas misturando movimentação de câmera com CG pareciam muito cut-scenes de jogos 3D por aí. Isso pode ou não agradar a alguns. Para mim é ok, mas o problema do episódio como mencionado foi outro. Nota: 2/5

Shoukoku no Altair


Fonte: Mangá
Gênero: Aventura, Fantasia, Histórico, Drama, Shounen
Diretor: Kazuhiro Furuhashi (Getbackers)
Estúdio: MAPPA (Shingeki no Bahamut)
Episódios: -- (Split cour)

SobreA história é sobre Mahmut, um jovem membro do conselho Türkiye Stratocracy, que detém o título político e militar de Pasha. A ameaça de guerra e perigo do império beligerante colocou Türkiye em risco, e como líder militar mais jovem do país Mahmut está determinado a manter a paz. Uma longa história então começa com inimigos e alianças que atrai o jovem para um mundo político que ele esperava manter sob controlem, em que a guerra possa prevalecer apesar de seus esforços.

Comentários

Gapso: Apesar de muito apressada, foi uma estreia interessante. Fizeram questão de mostrar todo esse caso em 24 minutos para dar uma introdução às questões políticas sobre a Túrquia e o Império Balt-Rhein, e mesmo com o rush no caso inicial, deu certo. A ambientação política e histórica aparenta muito bem escrita, espero que a consistência no desenvolvimento se mantenha assim.

A consistência visual está ok por enquanto, já que ainda não fora mostrada nenhuma batalha movimentada, e os designs são bonitos. O que não agradou nada foi a sonoplastia, com uma visível carência de efeitos sonoros (observem quando Mahmut pediu para a águia atacar o bandido no início do episódio, o som do braço do cara quebrando parecia a de uma árvore sendo cortada).

O anime deverá prosseguir com essas agressões políticas que estão tentando firmar para criar uma grande guerra, como diz na sinopse, só espero que não fique em casos episódicos insistentes mostrando cada hora um plano falho que o protagonista conseguiu resolver. Nota: 3.5/5

The Reflection Wave One


Fonte: Original do Stan Lee
Gênero: Ação, Super Poderes
Diretor: Hiroshi Nagahama (Mushishi)
Estúdio: Deen (Rakugo, Kore wa Zombie)
Episódios: 12

SobreApós “A Reflexão”, são descobertas por todo o mundo algumas pessoas com superpoderes. Alguns tornam-se heróis, e outros vilões. Como é que a Reflexão aconteceu? Qual foi a sua causa? Com muitos mistérios por resolver, O mundo entra em turbulência.

Comentários
Em breve. 

Saiyuuki Reload Blast


Fonte: Mangá
Gênero: Ação, Aventura, Comédia, Sobrenatural, Drama, Josei
Diretor: Hideaki Nakano (Servamp!)
Estúdio: Platinum Vision
Episódios:12

SobreContinuação de Saiyuuki e Saiyuuki Reload. A história é sobre quando os Sanzo Ikkou chegaram à Índia. Nessa terra estrangeira, onde a influência da anomalia é desenfreada, suas batalhas só aumentam em violência enquanto eles esperam seu destino trágico de 500 anos atrás.

Comentários

Gapso: Como esperado do diretor, ele sabe usar bastante recurso de direção para dar uma empolgação a mais nas batalhas, mesmo com a pouca verba para animação. A estreia foi bem direta e rápida por não só mostrar o grupo dos protagonistas e seu objetivo, como também  por já colocarem um caso da pequena cidade em que o anime já explorou.

A parte técnica está se saindo razoavelmente, mas é bem notória a pouca verba do anime. O roteiro teve uma introdução que pode até ser interessante com esse conflito entre demônios e humanos. Provavelmente a série vai se manter com a viagem do grupo dos personagens principais indo para várias cidades e resolvendo vários casos até que comecem a ligar alguns pontos ou até que surjam alguns vilões para se derrotar, pode até surgir algo interessante disso. Em geral, para quem gosta de ação/aventura meio militar, pode valer a pena conferir a estreia. Nota: 3.25/5

 Made in Abyss

Fonte: Mangá
Gênero: Aventura, Seinen, Sci-Fi, Drama, Fantasia
Diretor: Masayuki Kojima (Black Bullet, Monster)
Estúdio: Kinema Citrus (Barakamon, Kuma Miko)
Episódios: --

SobreNa história existe um enorme sistema de poço e caverna chamado "Abyss", o único lugar inexplorado deste mundo. Criaturas estanhas e maravilhosas, e as mais preciosas relíquias que que os seres humanos atuais são incapazes de fazer residem nas profundezas deste enorme poço. A aventura segue uma órfã chamada Rico que vive em uma cidade na beira deste abismo, e seu sonho é se tornar uma Cave Raider, nome dado aos aventureiros que se aventuram no poço, igual sua mãe, encontrando um robô que assemelha-se a um menino humano.

Comentários

Gapso: Ótima estreia! Made in Abyss pode soar, em um primeiro momento, um anime infantil devido ao seu elenco bem juvenil com seus designs bonitnhos, mas passa longe disso. A série é uma aventura madura que se aparenta muito bem escrita, com um grande teor de suspense e mistério que cercam o tão bem ambientado mudo em volta do abismo.

Os cenários são lindos, a sonoplastia chama muito atenção pelos detalhes, os designs de personagens bem feitos e a animação não fica para trás com um ótimo trabalho 2D do estúdio. O episódio de estreia não só ambientou todo esse curioso universo, com excelentes cenários que vão desde a natureza até a riqueza dos detalhes no quarto da protagonista, também introduziu os personagens principais, o tal robô que veio do abismo, e apresentou toda a aventura que vai acontecer - tomando o fato que eles são exploradores da Abyss que devem descer cada vez mais por ela ao decorrer do episódio.

Foi uma estreia muito bem conduzida e produzida, com uma abertura muito confortante em inglês, e uma introdução ao final do episódio que foi de dar empolgação. Os personagens são bem inteligentes e dinâmicos para a aparente idade, e a história promete ser bem interessante. Recomendo a todos Nota: 4.25/5

Battle Girl High School: Battle Girl Project

Fonte: Game
Gênero: Ação, Sci-fi, Escolar
Diretor: Noriaki Akitaya (Bakuman)
Estúdio: Silver Link (Fate illya, Chaos;Child)
Episódios: --

Sobre: O jogo é situado no ano de 2045, quando o mundo foi contaminado por Irosu (invasores misteriosos que apareceram repentinamente), e os humanos se acharam restringidos e contidos.  A escola Shinjugammine Girls Academy é onde garotas que são denominadas "Hoshimoris" (Star Guardians) se preparam e são destinadas a lutar contro os Irosu. O jogador é colocado nesta academia para treinar as garotas e tomar a Terra novamente.

Comentários:

Gapso: Um bando de garotas estereotipadas em uma escola de magia com CG e uns vilões para derrotar. Toda temporoada tem um assim e dessa vez é da Silver Link. O CG não está nada sútil por se destacar muito em batalha, ao menos o visual dlas garotas é variado, mas não tem nada demais na história e nem nas personagens em si. Nota: 2/5

 Vatican Kiseki Chousakan

Fonte: Novel
Gênero: Mistério, Sobrenatural, Drama, Shounen
Diretor: Yoshimo Yonetani (Shokugeki no Souma)
Estúdio: J.C Staff (Prison School, Shokugeki no Souma)
Episódios: 12 

Sobre: é sobre um cientista e um especialista em arquivos e criptoanálise que trabalham juntos como “examinadores de milagres” do Vaticano, viajando pelo mundo para investigar a autenticidade dos milagres.

Comentários

Gapso: Esperava uma história bem escrita e mais pé no chão, e não essa confusão de elementos sobrenaturais com um bando de ocorrência e ilegalidade estranha por trás. Seria interessante se explorassem as reais falhas e mistérios que a Igreja escondem, mas o episódio de estreia já começou com um caso trash, não é nada mais do que um bando de acontecimentos fúteis com o contexto de assassinatos e fraudes por trás, uma ficção mal escrita.

A parte visual é cansativa. O anime inteiro se baseia de enormes imagens estáticas na qual a câmera fica contornando, explorando devagar. É estranho. As jogadas de premunições e cenas que  tentam deliberadamente acusar os personagens também ficaram estranhas e extravagantes demais. 

Não recomendo esse anime, a não ser que alguém queira uma história trash de detetives apenas com um contexto de premunição sobrenatural sem sentido e "Igreja" por trás. Nota: 1/5

Centaur no Nayami

Fonte: Mangá
Gênero: Comédia, Slice of Life, Sobrenatural, Fantasia, Seinen
Diretor: Fumitoshi Oizaki (Ao no Kanata no Four Rhythm)
Estúdio: Haoliners/Emon (Gin no Guardian)
Episódios: 12 

SobreA história narra o cotidiano de Himeno, uma menina centauro doce e tímida que frequenta a escola de criaturas sobrenaturais, e que junto com seus divertidos amigos lida sobre vários assuntos referentes a adolescência.

Comentários

Gapso: Um pouco melhor do que eu esperava. Centaur proporciona algumas partes até bem engraçadas, que variam do senso de humor de cada um, com um fanservice shoujo ai leve desse início e algumas personagens até bem carismáticas.

Chamou bastante atenção a forma como explicaram os tipos de indivíduos que existem nesse mundo de uma maneira biolóigica. Ká abordaram como as espécies eram tratadas e vistas de tempos atrás até o momento atual. A exploração nesse quesito da história parece interessante, mas depende de como isso será desenvolvido na continuação da série.

O episódio começou de maneira diferente por só introduzir bem o mundo e as personagens na segunda metade, o que ficou bem diferente. Para quem gosta de comédia slice of life, com criaturas diferentes e uma certa exploração para com cada uma, eu recomendo darem uma olhada. O visual até que está bacana e com algumas cenas bem dirigidas. Nota: 3.5/5

Jigoku Shoujo (Hell Girl) 4: Yoi no Togi

Fonte: Temporada Original
Gênero: Comédia, Romance, Escolar
Diretor: Takahiro Omori (Baccano, Durarara!!)
Estúdio: Deen (Rakugo, Kore wa Zombie Desu Ka?)
Episódios: 12

SobreA nova temporada foi listada com doze episódios, seis episódios inéditos e outros seis como reminiscência. m algum lugar no vasto mar da Internet, existe um site que só pode ser acessado ao badalar da meia-noite. Conhecido como Jigoku Tsushin, rumores indicam que se você postar qualquer ressentimento ou rancor lá, a Jigoku Shoujo (garota do inferno) aparece e arrasta qualquer pessoa que esteja lhe atormentando para as profundezas do inferno. Muito pouco é conhecido à respeito dessa garota - tudo que sabemos com certeza, é que ela vive com sua igualmente enigmática avó, as três bonecas que a acompanham e servem a seus propósitos, e qualquer mensagem postada no Jigoku Tsushin a desperta, e faz com que ela se torne a Jigoku Shoujo.

Comentários

Aria: "Ippen shinde miru?" Voltamos a ouvir esta frase vingadora sobre as almas pecadoras e nossa querida Enma Ai com seu design igual, parceiros iguais e com qualidade visual superior, trouxe a essa estreia a mesma sensação das temporadas passadas, não percebemos mudanças na trilha sonora e nem na qualidade da animação.

A história se mantém no estilo episódico com no fundo alguma trama maior, envolvendo a Enma Ai e seu passado sofredor, é aconselhado recapitular a série antes de iniciar a nova e não é indicado começar por ela, pois estaria perdendo várias informação e referências importantes.

Com isso a estreia é mais que recomendada para os amantes de Hell Girl, pois nenhuma das características marcantes foram perdidas e é interessante termos histórias que fazem os telespectadores desejar usar o Hell Link (às 00:00) mesmo sabendo que não será algo bom. O conteúdo da estreia é inédito, então não se pode dizer ao certo quando os seis episódios reminiscentes viram ou se eles serão apenas algo distante de seus originais, mas de um modo geral é uma ótima estreia com tudo o que deveria ter e nada mais. Nota 3.8/5

Keppeki Danshi! Aoyama-kun

Fonte: Mangá
Gênero: Comédia, Sporte, Seinen
Diretor: Kazuya Ichikawa (Monster Strike)
Estúdio: Hibari (Major)
Episódios: --

SobreEssa história é sobre um jovem jogador de futebol do time do Japão chamado Aoyama. Seu estilo de jogo é “limpeza”. Ele é meio maníaco pela limpeza a ponto de não cabecear a bola, e se precisa fazer um lançamento, só faz de luvas.

Comentários

Gapso: Há um bando de personagens que deveriam ter no máximo 17 anos ali, mas que visualmente têm mais de 25. Isso realmente me incomodou naquele início no jogo do "sub16" em que todos, exceto o protagonista, eram velhos

Keppeki foca em um humor diferente sobre as manias de limpeza do protagonista que não é muito simpático, eles colocaram bem a situação em que eles só aturam o apático personagem principal por ele ser a estrela do time. Em algumas cenas, o humor cômico preponderante até funcionou comigo, ainda mais aqueles com os personagens chibis, ou as cenas desdobradas pelo fato do protagonista não querer ser tocado até mesmo na hora da comemoração do gol - mas há uma visível repetição das cenas e piadas (tipo a do cara que levanta a blusa toda hora) que parecem tendenciar o público alvo do anime. A série também aparenta focar bastante nas partidas de futebol, que são retratadas de maneira mais suave e pouco fluída, estilizando pequenos momentos especiais para evidenciar as habilidades do protagonista, com uma "grande pitada" de CGI. Deve acontecer um desenvolvimento do protagonista e do time em si com suas metas e desafios, ainda que sob piadinhas e alívio cômico do plot central o tempo todo.

Para quem estiver curioso pela premissa, e não se importar de ver piadas repetitivas sobre um garoto que gosta de se manter limpo e um cara que não para de levantar a camiseta, recomendo dar uma olhada. No final apenas varia com o senso de humor de cada um. Nota: 3/5

Maya: Se procuram um bom anime de esporte, esqueçam esse aqui! Kappeki é sobre um menino com neura de limpeza e essa neura é tão grande que sequer gosta de ser tocado... Então quando ele joga futebol, ele joga sem ser tocado... A premissa é essa, bem boba por sinal e por ser um anime de comédia, a piada obviamente é essa, então esperem para ver ela várias e várias vezes. 

É um primeiro episódio ruim, sua narrativa é tão confusa e a montagem tão grotesca que facilmente ficamos perdidos no episódio. Ainda conta com uma animação petrificada e um péssimo time para piadas, que por sinal são sem graça. 
Keppeki começa muito mal mostrando algo que não é futebol e não consegue se sustentar na comédia em que se foca. Nota: 1/5


Nana Maru San Batsu

Fonte: Mangá
Gênero: Game, Escolar, Comédia, Seinen
Diretor: Masaharu Okuwaki (12-sai)
Estúdio: TMS Entertainment (ReLife, Orange)
Episódios: 12

SobreÉ sobre o cotidiano de colegiais que participam de um club de Quiz em que se desafiam em competições constantemente. O protagonista é um amante de livros que se junta ao club por insistência de uma garota que é experiente com os desafios.



Comentários

Aria: O anime sobre quiz conseguiu cumprir as expectativas, a estreia apresentou foco total no quiz com um pouco de comédia, tentou fazer as perguntas parecerem algo bobo e depois inverteu e fez parecer um esporte complexo cheio de estratégias e muito emocionante (claro japonês faz tudo ser legal), a premissa do anime é algo simples o protagonista se tornará o Rei do quizzes e acompanharemos esse processo ao lado de uma protagonista com uma dublagem diferente.

A dubladora (seiyuu) de Fukami, Mari é a Kawashima, Umika e ela tem voz grossa, algo que incomodou, e é praticamente impossível achar uma voz semelhante a dela nos animes, pois ela foge dos padrões, no geral não é algo ruim é somente diferente.

Já a história caminha para um drama diário pela personalidade contraída do protagonista sendo auxiliado por uma garota mais forte, seguindo praticamente o clichê das antigas, logo é um diferencial interessante para quem só conhece animes novos ou para quem não enjoou desse modelo.

O anime também tem várias semelhanças a animes de esporte principalmente na maneira de criar a agitação e valorização da cena, então é recomendado para quem gosta de esportes, concluindo o anime se pretende a cumprir pouca coisa e aproveitar o caminho até lá, gosto muito desse padrão e recomendo para quem gosta de slice of life, pensando no meu caso. Nota: 3.3/5


Tenshi no 3P!

Fonte: Light Novel
Gênero: Música, Slice of Life, Escolar
Diretor: Shinsuke Yanagi (Netoge no Yome)
Estúdio: Project No.9 (Netoge no Yome, Shoujo-Tachi)
Episódios: --

SobreA comédia de lolis acompanha Kyo Meikui, um estudante que costuma faltar a escola devido a um trauma do passado. Ele passa seu tempo criando músicas como hobby em um software, até que recebe o email de um trio de amigas do seu colégio pedindo para ele escrever músicas para a banda que elas querem criar. A banda é formada por Jun, uma garota chorona, Nozomi, uma garota de personalidade forte, e Sora, que vive com sono.

Comentários

Aria: O começo consegue se mostrar como inovador e diferente, acompanhamos o hikikomori e seus problemas simples até a metade depois o anime mergulha em Lolis caindo em clichês e abusando da lógica, a história não é nada original, um protagonista isolado encontra um grupo de garotas que tem o objetivo de fazer algo do qual necessita da ajuda dele nesse caso um concerto no orfanato/igreja.

A animação tem sérios problemas de perspectiva, não consegue dar a ilusão da posição da câmera e certos objetos destoam do cenário CG, durante a performance o uso de CG substitui elementos antes produzidos em 2D, tornando os diferentes, a paleta de cores é ofuscada pela quantidade de brilho, o design nos personagens é genérico.

A música tenta ser o forte do anime, e por isso apresentou qualidade sonora, os vocais estão interessantes e a ending tem som rock pesado, provavelmente será a música tema do anime ou a mais usada durante os shows, falta ainda apresentar outras músicas.

Ainda podemos dizer que esse anime é derivado de Ro-Kyu-Bu!, então seria indicados para os fãs do anime citado e para os que gostam de Lolis com músicas, mas não espere algo com comédia ou eechi, pois nada disso foi visto. Nota: 2.9/5


Mahoujin Guru Guru

Fonte: Mangá
Gênero: Aventura, Comédia, Magia, Fantasia, Shounen
Diretor: Shinsuke Yanagi (Netoge no Yome)
Estúdio: Productions I.G (Haikyuu!!)
Episódios: 24

SobreRemake do antigo anime da franquia. A história é uma paródia dos primeiros RPG, particularmente os jogos baseados em turnos, como os jogos de Final Fantasy. O narrador fala no lugar do diálogo em tais jogos e este é um dos elementos de comédia do show. Muitas vezes as caixas de informação de estilo RPG são exibidas na tela juntamente com a narração acompanhando no estilo RPG tradicional. O objetivo geral dos personagens principais, Nike e Kukuri, é derrotar Giri, o governante da escuridão. Desde que o anime é baseado em um RPG, várias quests lado precisam ser concluídas antes que eles são capazes de localizá-lo.

Comentários

Gapso: Guru Guru é outro que apesar de uma certa evidência do público mais jovem não faz feio na comédia. É literalmente uma sátira pura ao RPG.

A estreia introduziu o mundo, personagens, itens e criaturas com várois toques, detalhes e esqueminhas dos jogos antigos interligados ao modelo de animação 2D. Ficou bacana as referências e intermediações que fizeram a jogos, desde mostrando o nível das roupas/armas dos personagens até fazendo a caixa de diálogos para introduzir e dar uma descrição dos itens, poderes e monstros.

O que eu não gostei tanto foi o fato de ter sempre alguém falando ou gritando sem parar na tela, começou a irritar - principalmente na hora que a heroína apareceu. Que menina chata! O humor funcionou bastante em vários momentos, mas por esse detalhe que me referi as vezes não ficou tão legal. Essa transição de "efeitos de RPG" para o 2D pode ficar cansativo para alguns também.

A história é simples, mas não deixa de ser sua seriedade mesmo com o humor e a sátira por trás de tudo. Visualmente é muito bem feito e pode valer a pena para quem busca um entretenimento cômico. Nota: 3.5/5

Clione no Akari

Fonte: Web Novel
Gênero: Escolar, Magia
Diretor: Ishikawa Pro
Estúdio: Drop
Episódios: --

SobreA história desenrola-se à volta de uma menina órfã doente chamada Minori. Depois de um dia chuvoso, ela não aparece na escola, pois tem sido atendida num hospital numa cidade distante. Dois meses passam, e os dois amigos da escola da menina, Takashi e Kyouko, recebem um e-mail misterioso sem nenhum remetente listado. O email revela um festival de verão que vai decorrer em uma cidade próxima.

Comentários:

Aria: Como falando em Netsuzou TRap um anime curto não precisa ser apressado e é isso que vemos em Clione no Akari um ritmo agradável dentro do seu tempo com a execução de sua simples premissa sem o uso de muitas frases e mais mostrando.

A sua premissa se resume na vivência de uma garota enfrentando o bullying escolar, a forma de mostrar o bullying e o comportamento dos personagens vão deixar muitos com raiva ou interessados na possível lição de moral, o tema causa empatia em muitos.

A animação está na média não apresentou problemas sérios e nem qualidades importantes, a trilha sonora poderia ser mais utilizada, a abertura não toma muito tempo ela dura 1 minuto, então em termos técnicos está dentro do aceitável, ele seria recomendado para quem gosta de Drama pelo seu tema e slice of life por seu ambiente e ritmo devagar. Nota: 3.2/5

Isekai wa Smartphone to Tomo ni.

Fonte: Light Novel
Gênero: Aventura, Harém, Comédia, Romance, Fantasia
Diretor: Takeyuki Yanase (Himegoto)
Estúdio: Production Reed (Nijiiro Days)
Episódios: --

SobreTouya Mochizuki foi acidentalmente morto e, como desculpa, Deus lhe permite renascer num mundo de fantasia e lhe concederá qualquer desejo que o garoto quiser. E assim, Touya deseja continuar com seu smartphone nesse próximo mundo. Em sua segunda chance na vida, ele herda o legado de uma antiga civilização e viaja despreocupadamente enquanto possui poderes que rivalizam com os reis deste mundo.

Comentários

Gapso: Estreia muito decente. Começou com o protagonista já morto conversando com Deus, e fui surpreendido na exploração de algumas questões bem legais que foram abordas sobre o mundo mágico no qual o protagonista seria ressucitado.

Houve toda uma preocupação sobre fazer o celular pegar lá, sobre o idioma, as roupas do protagonista que eram vistas como estranhas, foi no geral um abordamento muito decente e coerente de como seria se alguém fosse para outro mundo (só tenho a contestar que as unidades na hora da receita do sorvete não foram relevadas ou citadas). O episódio foi bem introdutório a isso e mostrou como o protagonista até então tem uma cabeça boa e não é tão random e fracote.

Não sei se o episódio foi rushado, mas estavam com várias transições com aquelas imagens random que normalmente são feitas para quando o anime vai/volta de comerciais. ficou bonitinho porque agregava na cena que acabara de ocorrer, mas ainda assim estranho.

O tal deus fez dele muito apelão, mas o garoto não fica atrás por saber se comprotar e não agir como molenga. Isso chamou muito atenção. O visual é ok, os designs não são tão bonitos mas se mostraram bem consistentes. A animação de batalha é apenas razoável, mas se manterem desta forma até o fim não ser feio.  

Até então parece um isekai um tanto diferenciado com um mundo bem explorado e um protagonista op diferenciado na personalidade (não é bundão), espero que se mantenha assim (o que pode não ser provável). Recomendo darem uma olhada. Nota: 3.35/5 

Youkai Apato no Yuuga na Nichijou

Fonte: Light Novel
Gênero: Mistério, Slice of Life, Sobrenatural
Diretor: Mitsuo Hashimoto (Bakugan, Initial D Final Stage)
Estúdio: Shin-Ei Animation (Denki-gai)
Episódios: --

SobreA história é sobre Yuushi Inaba, um jovem de 16 anos que perdeu seus pais há três anos. Ele vai morar na casa do seu tio, mas percebe que não é bem visto lá e que talvez seja melhor ir morar sozinho. Quando ele vai mudar-se para um dormitório do colégio, o prédio pega fogo em um incêndio. Ele acaba então indo morar em um apartamento para pessoas de baixa renda, descobrindo assim a existência de criaturas sobrenaturais como fantasmas e youkais, além de vizinhos bem excêntricos.

Comentários

Gapso: Youkai Apato apresenta uma pegada de slice of life bem lento, tanto é que levou mais da metade do episódio para o protagonista finalmente poder observar de fato esses monstros. O estúdio não é muito experiente em carregar projetos sozinhos como sendo o principal, então é entendível as inconsistências e falta de cortes que acontecem aqui -mesmo que não seja um problema já que não faz falta para a série.

O episódio introduziu, de maneira bem lenta, o plot apresentado na sinopse e começou a dar início dos casos de youkai.

Ao que tudo parece o anime vai seguir a rotina do protagonista na sua nova casa junto com a garota exorcistas, com os vários youkais diferentes e aleatórios que deverão aparecer a cada episódio, fazendo sempre um caso ou situação diferente. Não deve fugir muito dessa linha, então para quem gosta de slice of life, um tanto lentos, e que envolvam youkais, está aí a opção da temporada. Nota: 2.8/5

Princess Principal

Fonte: Original
Gênero: Ação, Histórico, Seinen, Suspense
Diretor: Studio 3Hz (Flip Flappers, Dimension W)Masaki Tachibana (Barakamon, Tokyo Magnitude 8.0)
Estúdio: Studio 3Hz (Flip Flappers, Dimension W)
Episódios: --

SobreNão revelaram a sinopse por enquanto, mas pelo trailer dá para perceber o clima de mistério e tensão, será um suspense histórico com lolis.

Comentários

Gapso: Ótima estreia. Misturar elementos steampunk com a bela trilha sonora e backgrounds de uma Londres fictícia do séc. XX ficou muito bom mesmo - é de impressionar o peso por de trás da produção. 

Todo o caso explorado por trás daquele cientista e as mentiras de Ange foi muito impactante, principalmente no final. Há uma atmosfera diferente em que misturam as garotas como alunas daquele escola, que serve apenas de faixada, e um cenário em que elas são espiãs trabalhando secretamente para o outro lado. As questões que envolvem essa Guerra Secreta e os poderes por trás daquele estranho aparelho que permitem a elas várias habilidades deve ser explorado para os próximos episódios, mas no geral a estreia gerou um grande impacto e fechou um caso de introdução muito bem.

O anime também se mostrou se do tipo que se vale a ser assistido muito atenciosamente, pois há muitos detalhes que podem passar despercebidos que podem proporcionar interpretações dos ocorridos.

Eu realmente iria preferir se não houvesse esse character design moe nas protagonistas (reparem que só elas possuem), mas a proposta ainda está interessante. Veremos como irá se sair no decorrer da série. Recomento a todos que gostam de suspense, espionagem, cyberpunk, e suspenses históricos. Nota: 4/5 

Maya: O anime trás na equipe de produção Nobutaka Ike, que era o diretor de arte que trabalhou em todos os filmes de Satoshi Kon. Esse cara certamente é MUITO bom! 
Visualmente o anime possui um estilo Steampunk bastante fiel nos tons bronze, ouro velho e até mesmo nos modelos que os personagens vestem... Que são lindos! Há também um tom mais dark e o uso de tons verdes nas nuvens ou neblinas que impõe uma sensação de que algo está errado. A única coisa que não se encaixa muito bem na parte visual aqui é o contorno luminoso (de alguma ferramenta que usam) que cercam as personagens em algumas cenas de ação, acaba destoando um pouco... Mas no geral, o anime é visualmente impecável e vislumbrante... Alem de que, com certeza, irá utilizar de bastante linguagem visual.

Em relação ao episódio, leva um tempo para ganhar atenção, há vários personagens mostrados, mas não exatamente apresentados e muitas coisas acontecem sem estarmos cientes do que está acontecendo exatamente. Por um lado, isso é bom, o episódio não possui quase expositividade alguma e parece ter um quebra-cabeça a ser montado. É uma dúvida se o anime vai ser linear, não-linear e episódico, mas é aparentemente um prato cheio para quem gosta de animes assim. Nota: 4/5

18if

Fonte: Game de Projeto Multimídea
Gênero: Mistério, Puzzle, Game
Diretor: Morimoto (Magneti Rose)
Estúdio: Gonzo (Akiba's Trip: The Animation)
Episódios: 12

Sobre: Sem sinopse revelada, mas trata-se de um puzzle game. Faz parte do projeto de multimídia "The art of 18" que envolve também um mobile game e um VR game.

Comentários

Maya: 18if parece uma mistura de Persona com Yumekui Merry, mas ambientado dentro de sonhos... Em parte, é interessante, pois o anime abre um leque de inúmeras possibilidades ao abordar esse tipo de tema... Mas na prática, inicialmente somos apresentados com um roteiro bem infantiloide e que não trabalha nenhum elemento para criar algum clima de tensão, mistério, suspense ou até mesmo de surrealidade. Em outras palavras, é tudo fácil de se entender e nada apresenta algum perigo, nem mesmo um braço amputado consegue ter algum impacto, pois é tudo muito obvio e previsível.

A animação é cheia de elementos em CGI, mas tudo combina visualmente, até mesmo com o character... Porém, nada especial, é até um tanto liso e sem graça.
O que eu gostei for da abertura e Ending, são legais... Fora isso, quase nada desperta interesse o anime com seu primeiro episódio já consegue mostrar aonde vai parar essa história. Nota: 2.5/5 

Action Heroine Cheer Fruits 

Fonte: Original
Gênero: Slice Of life
Diretor: Keizou Kusakawa (Kantai Collection)
Estúdio: Diomedea (New Game!, Imouto! Umaru-Chan)
Episódios: --

Sobre: A história situa-se na cidade de Hinano, uma área tranquila que cultiva frutas, mas que perdeu a sua vitalidade. Pela cidade que ela ama, a garota do colégio Misaki Shirogane e outras garotas se tornam heroínas locais (a pedido da tia de Misaki, a governadora da província) e prometem produzir eventos ao vivo. A história descreve seus esforços extenuantes para revitalizar sua cidade.

Comentários:

Aria: Um anime referenciando os tokusatsu de antigamente com OP em estilo antigo, carregado de personagens moe viciadas em heróis apresentou sua premissa simples, as protagonistas se tornarão super-heroínas, elas primeiro treinam para fazer um show à irmã da Kise, Mikan e logo depois elas são pegas fazendo sucesso na internet e são recrutadas pela Shirogane, Misaki.

A animação e trilha sonora estão na média, o que é disfuncional para mim é sua comédia e o slice of life, o anime foge dos padrões slice of life puro para adotar o estilo de idols (super-heroínas), a comédia funciona com o uso de surpresas (correr e trombar) e ainda usa a vergonha alheia.

Em resumo o anime seria indicado para as pessoas que gostam de moe genérico com traços de idols, e não seria indicado para quem se importar com a história, a pessoa deve aproveitar os acontecimentos diários e não se importar com o rumo. Nota 3/5. 


Konbini Kareshi

Fonte: Projeto Multimídea
Gênero: Slice Of life, Comédia, Romance
Diretor: Hayato Date (Saiyuki, Naruto)
Estúdio: Pierrot (Naruto, Sousei no Onmyouji)
Episódios: --

Sobre: Foca em um grupo de estudantes do sexo masculino do ensino médio que sempre param em uma loja de conveniência em seu caminho de casa da escola.

Comentários

Gapso: Quase um nijiiro days, mas não chega perto desse. Deverá ser uma comédia romântica baseando-se em vários rapazes e as garotas de quem gostam, mas não sei o quão focado no romance realmente deverá ser. Pelo menos, ver um bando de rapaz trocando ideia por 24 minutos não me prende a atenção, são alguns assuntos tanto aleatórios inclusive. Está aí para quem arrisca uma comédia romântica, mas pode ser só um slice of life de um bando de amigos conversando (?). Nota: 2.5/5 

Isekai Shokudou

Fonte: Light Novel
Gênero: Mistério, Comédia, Fantasia
Diretor: Masato Jinbo (Fate/ Prisma,, Chaos;Child)
Estúdio: Silver Link (Fate Prisma, Chaos;Child)
Episódios: --

SobreA história acompanha o cotidiano da cafeteria Youshoku no Nekoya, que aparenta ser um restaurante normal, mas aos sábados é aberto secretamente apenas para criaturas de outro mundo e serve a eles um "menu especial".

Comentários
.
Gapso: Isekai Shokudou aborda uma proposta muito diferente e divertida (para um nicho de pessoas pelo menos) de assistir, e provavelmente será episódica com os vários casos de criaturas que irão visitar o restaurante que liga o mundo humano ao mundo da fantasia.

Pelo que foi mostrado na estreia, a narrativa é bem escrita e a ambientação bem legal. A primeira parte do episódio mostrando várias criaturas discutindo sobre um determinado prato foi bem cômico ao mesmo tempo que leve. Além de mostrar um pouco da culinária local, o que me deu fome, o anime também aborda a história de cada um dos indivíduos que vão visitar o restaurante,  desde a protagonista feminina que surgiu durante o segundo ato e que já teve seu passado explorado, até uma daqueles seis grandes dragões que comporta o restaurante como um tesouro precioso. Foi muito bacana.

A animação quase não tem cortes, se baseia mais em cenas estáticas com movimentações mínimas grande parte do tempo, mas está consistente na medida do possível. Muito agradável de se ver. As cores mais escuras/quentes também retratam bem o tema isekai.

No geral, um bom episódio de estreia. Recomendo para todos que gostem de animes com tema de isekai, restaurante, slice of life, ou esteja curioso para ver uma mistura disso tudo em uma única série. Há uma boa exploração de todos esses temas. Nota: 3.8/5


Youkoso Jitsuryoku Shijou Shugi no Kyoushitsu e 

Fonte: Novel
Gênero: Romance, Escolar, Comédia
Diretores: Seiji Kishi e Hiroyuki Hashimoto (Angel Beats e Gochuumon wa Usagi Desu Ka?)
Estúdio: Lerche (Kuzu no Honkai)
Episódios: 12

SobreA história desenrola-se na Koudo Ikusei Senior High School onde 100% dos alunos vão para a universidade ou arranjam emprego. Os alunos têm a liberdade de usar qualquer penteado e trazer qualquer tipo de adereço pessoal. Kpudo Ikusei parece um paraíso de uma escola mas a verdade é que apenas os alunos superiores recebem tratamento preferencial. O protagonista Kiyotaka Ayanokouji é um estudante da Classe D, que é onde a escola despeja os seus alunos “inferiores”, para os ridicularizar. Por uma certa razão, Kiyotaka foi negligente no seu exame de admissão e foi colocado na classe D. Após conhecer Suzune Horikita e Kikyou Kushida, dois outros estudantes da sua classe, a situação de Kiyotaka começa a mudar.

Comentários

Gapso: Uma estreia razoavelmente boa que chamou atenção de alguma maneira ou outra. A forma como o protagonista (que me da sono com sua voz, por sinal) se comporta é bem estilo Hachiman, e tomadas de decisões e avaliações desse estilo de personalidade quase sempre é interessante quando bem abordado/bem escrito. O protagonista ser niilista pode dar umas boas reflexões gerais e até filosóficas do que acontece no dia a dia da escola. Foi até interessante os monólogos dele de como deveria se comportar da sala, me lembrou novamente um certo personagem aí.

O elenco geral de personagens também apresenta um bando estereotipado, com vários designs diferentes e coloridos que chamam atenção por bem ou por mal. O plot twist embora já esperado, pode proporcionar algo interessante mais para frente. 

O episódio incial foi lento, mas apresentou bem a situação e foi de maneira ok como introdução. O visual também não chama atenção. Resta saber como será trabalho a proposta que soa bem interessante como um todo. Nota: 3.5/5

Enmusubi no Youko-chan (Fox Spirit Matchmaker)

Fonte: Manhua (Mangá Chinês)
Gênero: Comedia, Histórico, Sobrenatural, Romance
Diretores: --
Estúdio: --
Episódios: --

Sobre: Em um mundo em que youkais e humanos vivem juntos e são extremamente amigáveis entre sim, quando humanos morrem pelo curto tempo de vida, renascem como youkai mas que não se lembram de seus entes queridos nem de outros youkais de quem eram próximo. Por esta causa um tipo de serviço se torna popular; alguns youkais podem reviver as memórias perdidas dos seus amores, restaurando suas memórias e fazendo com que entes queridos possam se encontrar se possível.

Comentários
E também não foi dessa vez que os animes chineses conseguiram se destacar. Visual inconsistente, personagens bobos com atitudes infantis e péssimas transições de cena e acontecimentos durante todos os minutos do episódio de estreia. Além de ter ficado muito confuso a introdução de um modo geral, houve vários momentos que tive a sensação de estar assistindo uma cena que começou pela metade, foi uma experiência ruim. Não recomendo isso para ninguém, a não ser que por algum motivo alguém aprecie essas produções chinesas ruins ou queira saber como não se deve fazer anime. Nota: 1/5

Netsuzou TRap

Fonte: Mangá
Gênero: Drama, Yuri, Escolar
Diretor: Hisayoshi Hirasawa (Ojisan To Marshmallow)
Estúdio: Creators in Pack (Ojisan to Marshmallow)
Episódios: -- (10min)


Sobre: A história é sobre Yuma e Hotaru, amigas de infância e vizinhas e que já possuem namorados. Porém Hotaru vive beijando e seduzindo Yuma de brincadeira. Apesar de manter o que acontece entre elas em segredo, Yuma começa a ficar confusa sobre seus verdadeiros sentimentos.

Aria: Anime apresentou ritmo corrido, pulando várias etapas com o objetivo de focar nas cenas de fanservice yuri e se fosse um hentai até seria aceitável, mas isso passou na TV então não podem ir longe, logo não se tem história ou tempo para compreender o que está acontecendo.

Parece que o anime está brigando contra o relógio, e perde-se muito nesse processo, portanto não recomendo o anime para ninguém existe outras opções melhores para quem é fã do estilo, e mesmo ele sendo um curta, existe a possibilidade de trabalhar e desenvolver a trama, algo que não foi posto e provavelmente quem for conferir pensará que pegou o episódio errado ou veio faltando uma parte, de tantos cortes que tem.

*Alerta o tempo disponível para o anime trabalhar tirando a OP e ED é somente de 7 minutos. Nota: 1/5

Tsurezure Children

Fonte: 4koma Mangá
Gênero: Comédia, Romance, Escolar, Shounen
Diretor: Gokumi (Dansai Bunri no Crime Edge) 
Estúdio: Hiraku Kaneko (Manyuu Hikenchou)
Episódios: -- (15 min)


Sobre: Retrata vários cenários de amor jovem. A história varia de um menino aleijado por sua absoluta falta de confiança em si mesmo, que não pode sequer aceitar o fato de que a menina de seus sonhos realmente convidou-o em um encontro, para a menina quase psicótica que derrama seu próprio sangue em seu chocolate caseiro para ganhar o seu coração.

Comentários

Gapso: 13 minutos de várias esquetes de casais, desde umas mais engraçadas até algumas mais bobinhas e bonitinhas. A variação de personagens para cada ato é boa o suficiente para gerar vários tipos de situação - em alguma dessas esquetes foram bem cômicas com a forma do humor que não é muito comum constituindo-se por impulsos dos personagens. Outras já são mais focadas na melancolia do romance e não funcionaram tão bem, mas por serem apenas 13min de episódio vale a pena no geral como entretenimento. Recomendo que deem uma olhada se gostarem de comédia romântica escolar no geral. Nota: 3.3/5

Maya: É um anime meio no estilo de Nijiiro-Days, então, quem gostou dele possivelmente vai gostar desse aqui também... O diferencial é que o episódio vai cortando para vários casais separados sem mostrar alguma ligação direta entre eles. É uma comédia leve e bem divertida sobre os diferentes relacionamentos desses casais. Particularmente eu gostei, é curto e as piadas funcionaram bem, então é um ótimo anime para encaixar naquele curto espaço de tempo que sempre temos. A animação não é lá essas coisas, tem uns traços redondinhos que são bonitinhos, mas é tudo bem simples e meio inconsistente até, mas nada que incomode. Nota: 3.5/5

Aho Girl

Fonte: 4koma Mangá
Gênero: Comédia, Romance, Escolar
Diretor: Keizou Kusawara (Sekirei, Akuma no Riddle)
Estúdio: Diomedea (New Game!, Himouto! Umaru-Chan)
Episódios: --


SobreA história é sobre Yoshiko, uma garota genuinamente estúpida que consegue tirar 0 em todas provas de múltipla escolha . Ela vai para a esccola com seu amigo de infância, que ela alega gostar, e ele tem que aturar todo seu comportamento ridículo.

Comentários

Gapso: Uma das melhores e mais doidas comédia da temporada, sem dúvidas. O timming de comédia de Aho Girl é ótima e lembra muito Nichijou. O anime também se divide em várias esquetes ao decorrer dos seus treze minutos com pura comédia non sense da protagonista tapada que gosta de banana, e o seu amigo que a vigia o tempo todo. Eu ri bastante durante todo o episódio, as situações são bem cômicas e não há nada para se levar a sério ali. A direção do anime é muito boa e o pacing do diretor é muito bom para a comédia que a obra propõe

Eu recomendo bastante a estreia, tem um bom visual e bom timming de humor, só basta conferir se bate com o senso de humor de cada um. Nota: 4.25/5

Skirt no Naka wa Kedamono Deshita.

Fonte: Mangá Adulto
Gênero: Romance, Adulto, Yuri
Diretores: Mitsutaka Noshitani (Bleach, Naruto)
Estúdio: Magic Bus (Cobra The Animation)
Episódios: -- (5min)

SobreA história é sobre Shizuka Kominami, uma estudante universitária que está tendo problemas para se adaptar à vida da cidade. Um dia, ela conhece Ryou Kirishima, outro estudante que projeta a imagem de uma irmã mais velha. Os dois começam a conviver, mas Shizuka está chocada quando Ryou tenta seduzi-la. Shizuka inicialmente assume que Ryou é lésbica, mas Ryou na verdade é um homem que se veste como uma mulher.

Comentários
Gapso: Um cara que descobre que a mulher que tá estuprando ele é na verdade um homem. Por que?

Zannen Onna Kanbu Black General-san

Fonte: Mangá
Gênero: Comédia, Super Poderes
Diretor: --
Estúdio: --
Episódios: 10 (3min)
PV

SobreA história é sobre Miss Black General, líder vilã da RX, uma organização secreta inclinada a dominar o mundo. Infelizmente, Miss Black General também tem uma grande paixão por Brave Man, um super-herói trajado dedicado a frustrar os maus esquemas de RX, e ela muitas vezes confunde seu heroísmo violento com uma forma excessivamente entusiasmada de flerte.

Comentários
Em breve.


Karada Sagashi

Fonte: Mangá
Gênero: Terror, Sobrenatural, Shounen
Diretor: --
Estúdio: --
Episódios: 10 (3min)
PV

Sobre: A história é sobre Asuka, uma estudante do ensino médio que vê o fantasma de um estudante morto chamado Haruka, pedindo para que ela encontre seu corpo. À medida que a história avança, Asuka e seus amigos tentam encontrar as oito peças dispersas do cadáver de Haruka na escola, e aprender mais sobre a "Pessoa Vermelha" que está caçando-os enquanto eles fazem isso. A Pessoa Vermelha caça estudantes que estão sozinhos na escola para matá-los, e até que eles saiam dos portões da escola, a Pessoa Vermelha continuará aparecendo diante deles. Quando a Pessoa Vermelha mata um aluno, ele espalha o corpo do aluno em oito pedaços, e tarefas de outra pessoa para encontrar as peças na escola. Se Asuka não encontrar o corpo de Haruka, o dia continuará repetindo e ela e seus amigos continuarão morrendo até que o façam.

Comentários
Em breve.

TABELAS COM DATAS DE ESTREIA E DIAS DA SEMANA 


Data de Estreia
Data
Títulos
01/07Enmusubi no Youko-chan
Kakegurui
Hina Logi: From Luck & Logic
Fate/Apocrypha
Katsugeki/Touken Ranbu
Senki Zesshou Symphogear AXZ
02/07Knight’s & Magic
Keppeki Danshi! Aoyama-kun
Battle Girl High School
Skirt no Naka wa Kedamono Deshita.
03/07Youkai Apartment no Yuuga na Nichijou
Koi to Uso
Isekai Shokudou
04/07Aho Girl
Tsuredure Children
Nana Maru Sanbatsu
Isekai Shokudou
05/07Netsuzou TRap
Saiyuuki Reload Blast
06/07Dive!!
Konbini Kareshi
Action Heroine Cheer Fruits
07/07Made in Abyss
18if
Vatican Kiseki Chousakan
Shoukoku no Altair
08/07Hitorijime My Hero
Ballroom e Youkoso
09/07Centaur no Nayami
Princess Principal
10/07Tenshi no 3P!
11/07Isekai wa Smartphone to Tomo ni.
New Game!! 2
Musekinin Galax Tylor
12/07Hajimete no Gal
Mahoujin Guru Guru
Youkoso Jitsuryoku Shijou Shugi no Kyoushitsu e
Ikemen Sengoku: Toki o Kakeru Koi
13/07Gamers!
14/07Jigoku Shoujo 4: Yoi no Togi
21/07The Reflection: Wave One


Lançamento Semanal
Dia da Semana
Títulos
SegundaYoukai Apartment no Yuuga na Nichijou
Koi to Uso
Isekai Shokudou
Tenshi no 3P!
TerçaAho Girl
Tsuredure Children
Nana Maru Sanbatsu
Isekai wa Smartphone to Tomo ni.
New Game!! 2
Musekinin Galax Tylor
QuartaNetsuzou TRap
Saiyuki Reload Blast
Hajimete no Gal
Mahoujin Guru Guru
Youkoso Jitsuryoku Shijou Shugi no Kyoushitsu e

Ikemen Sengoku: Toki o Kakeru Koi
QuintaDive!!
Konbini Kareshi
Action Heroine Cheer Fruits
Gamers!
SextaMade in Abyss
18if
Vatican Kiseki Chousakan
Shoukoku no Altair
Jigoku Shoujo: Yoi no Togi
The Reflection: Wave One
SábadoEnmusubi no Youko-chan
Kakegurui
Hina Logi: From Luck & Logic
Fate/Apocrypha
Katsugeki/Touken Ranbu
Senki Zesshou Symphogear AXZ
Hitorijime My Hero
Ballroom e Youkoso
DomingoKnight’s & Magic
Keppeki Danshi! Aoyama-kun
Battle Girl High School
Skirt no Naka wa Kedamono Deshita
Centaur no Nayami
Princess Principal


HISTÓRICO DE EDIÇÕES
01/07 - Comentários de Gapso em Hina Logi: From Luck & Logic, Enmusubi no Youko-chan e Katsugeki Touken Ranbu. Comentários de Aria em Hina Logi: From Luck & Logic.
02/07 - Comentários de Gapso em Kakegurui, Fate/Apocrypha e Keppeki Danshi!. Comentários de Aria em Katsugeki Touken Ranbu.
03/07 - Comentários de Aria em Kakegurui e Fate/Apocrypha. Comentários de Gapso em Knight's & Magi, Youkai Apato, Battle School Girls e Isekai Shokudou. Comentários de Maya em Kakegurui e Kappeki Danshi!.
04/07 - Comentários de Maya em Fate/Apocrypha. Comentários de Gapso em Koi to Uso, Aho Girl e  Tsurezure Children.
05/07 - Comentários de Aria em Koi to Uso e Netsuzou TRap. Comentários de Gapso em Saiyuuki Reload Blast. Comentários de Maya em Knight's & Magic e Tsurezure Children.
06/07 - Comentários de Gapso em Dive!!. Nana Maru San Batsu
07/07 - Comentários de Aria em Nana Maru San Batsu. Comentários de Gapso em Made in Abyss, Vatican Kiseki Chousakan e Ballroom e Youkoso.
08/07 - Comentários de Maya em Ballroom e Youkoso, Dive!! e 18if. Comentários de Gapso em Shoukoku no Altair.
09/07 - Comentários de Gapso em Centaur no Nayami e Princess Principal e Konbini Kareshi.
10/07 - Comentários de Aria em Action Heroine Cheer Fruits. Comentários de Gapso em Jikan no Shihaisha. 
11/07 - Comentários de Aria em Tenshi no 3P!. Comentários de Gapso em Mahoujin Guru Guru e Isekai wa Smartphone.
12/07 - Comentários de Gapso em Youkoso Jitsuryoku. Comentários de Aria em Clione no Akari.
13/07 - Comentários de Gapso em New Game 2 e Gamers.
14/07 - Comentários de Aria em Hajimete no Gal e New Game!! 2.
16/07 - Comentários de Maya em Gamers e Princess Principal. Comentários de Aria em Jigoku Shoujo (Hell Girl) 4: Yoi no Togi.

***









Nenhum comentário:

Postar um comentário


HGS Anime - 2016