Made in Abyss #3 | Análise Semanal - HGS Anime HGS Anime: Made in Abyss #3 | Análise Semanal

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Made in Abyss #3 | Análise Semanal


Os títulos nos episódios podem ser altamente definitivos no foco, quando escolheram o nome “partida” não pensavam nem mais nem menos, seria exatamente a problemática e a tristeza envolvida no início de nossa jornada ao fundo do abismo e as relações sutis de cada um no elenco, com ênfase no Gilo/Líder (instrutor do orfanato).


Clique Aqui e Veja as Análises dos Episódios Anteriores de Made in Abyss.

A “partida” precisou de tempo por dois motivos não poderíamos sair sem a justificativa, o motivo deveria superar os riscos e custos da jornada, e nem sem entendemos os resultados disso no restante do elenco, tendo isto em mente o anime respondeu a esse problema de forma simples.

O estado atual da Lyza (mãe da Riku) é uma incógnita semelhante ao “gato na caixa”, ela está isolada no fundo viva e morta até que a encontrem isso faz de Riku e Nat ambos certos, mas para definitivamente saber a verdade devemos olhar dentro da “caixa” ou chegar no fundo do abismo e saber se ela morreu ou está viva, somente por essa possibilidade Riku, claramente, arrisca na jornada e não seria surpresa nesse paradoxo surgir brigas.

Nat demostra gostar muito da Riku e ele sabe sobre o retorno impossível dela, não seria sensato parar e avisa-la? É totalmente compreensível não querer ajudar e ainda ajudar devido ao amor, por isto o disfarce mal feito (hilário) e a briga, e de fundo nosso Líder sendo o personagem discreto capaz de enxergar através de todos e reconhecer seus limites.


Líder sabe, parar a Riku agora não muda o fato dela tentar novamente, afinal ele viu ela crescer, então sabendo de seu limite é preferível ajudar, e diz em uma frase engraçada ao Reg “Você vai ao banheiro? Então cuide dela.” (Frase resumida), e também enviou algo importante na mala, não foi possível entender sua importância agora, só gerou curiosidade.

Não somente este item deixou curiosidades, ao longo de vários momentos tivemos várias informações reveladas e base o suficiente para começarmos a traçar repostas às várias questões como o que eram aqueles corpos? Reg é realmente imune ao abismo? E de fundo a cidade tomou mais formas, conhecer o lado “favela” perceber o real interesse da população no abismo.

É o princípio para responder qual seria a disputa gerada pelas relíquias e quem deixou elas, entender algum personagem, ou seja, melhorar este universo. Porém tudo tem um preço não poderíamos partir sem deixar algo importante e no caso “perdemos” vários personagens, provavelmente todos que ficaram não serão mais vistos ou estarão distante do foco.


É um momento triste para nós, preferencialmente gostei de todo o elenco e gostaria de ver eles exploraram, nos tiraram umas lagrimas nesta separação, mesmo sendo por um bom motivo. Outro ponto não esquecido é a mudança no ritmo deste episódio, não chegando a estragar a aventura e sim sendo um problema para as pessoas por questão de gosto, muitos não esperavam isto.

No geral não me incomoda o ritmo, chegando a demonstrar que o anime não quer ser só beleza, ele pretender também ser algo além, se propõem a ser mais do que visual quer ser algo de profundidade, minha nota será igual ao anterior, visto a permeância da qualidade.

Avaliação: ★ ★ ★ ★ ★ (+++) 



Nenhum comentário:

Postar um comentário


HGS Anime - 2016