Sakurada Reset #6 | Análise Semanal - HGS Anime HGS Anime: Sakurada Reset #6 | Análise Semanal

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Sakurada Reset #6 | Análise Semanal



Um bom episódio que se desenvolveu com base em 3 pontos. O velho e a sua fotografia, a bruxa e a garota rebelde.

                               Análise dos episódios anteriores de Sakurada Reset.


 A introdução consiste de outra missão em que o Kei tem que ajudar alguém, no caso,o idoso Sasano. Dentro desse processo nós somos apresentados ao contexto do idoso e já são estabelecidos os pontos que vão se utilizados mais a frente, onde começamos a entender melhor quem é aquele personagem, desde suas origens e situação. Que acabou nos levando á 38 anos atrás, onde as habilidades chegaram até aquela cidade, ou seja, eles vão sim apresentar uma explicação para os poderes e aparentemente, contextualizar o impacto social dessas habilidades(tanto que a bruxa diz estar presa por aproximadamente 30 anos). Portanto, fica claro que objetivo disso é trazer um contexto para se desenvolver o "worldbuilding" na obra, inserindo esses pontos que vão ser utilizados posteriormente.



 Durante essa introdução, temos uma foto com uma garota(que ao meu ver é a Souma) com o macguffin nas mãos, vale notar que as fotos do álbum são de 20 anos atrás, pelo menos as das cerejeiras e dá para perceber que tem ao menos uma foto de cerejeira na mesma página do álbum. O que nós alerta novamente, o animê não vive só de narrativa episódica, ele tem um desenvolvimento linear no seu background. E isso só ressalta a ideia de que esses episódios são introduções para alguns personagens, que de alguma forma vão impactar a narrativa, seja por eles mesmos ou por afetarem o protagonista de alguma forma. Tanto que o episódio mostra que o anime não esquece personagem, usando eles como um recurso ,mas também os desenvolvendo de alguma forma, deixando de lado aquela minha crítica de que alguns personagens soavam como "recurso de roteiro" e não traziam um "algo a mais" que os sustentassem por si só(caso da Murase e o Ryouji).



 Quanto a "bruxa", o episódio já começou "jogando" um flashback do passado do protagonista(falei que existia algo no passado dele), com um diálogo bem estranho de começo, sem uma introdução e com uma construção bem seca. A pauta do diálogo entre o protagonista e a dita bruxa é a sua própria reflexão, bem como quem ele é e o que ele deseja, servindo de base para entendermos como o protagonista chegou na cidade e confirmando que ele tem algum trauma que o levou a ter esse senso de justiça bem elevado, mesmo quando ela ainda era apenas uma criança. 



 Se ligarmos isso com os diálogos da parte final do episódio, fica mais claro todos os acontecimentos, onde a "bruxa" é a base da sociedade(e dos saberes do escritório) e o Kei junto da Misora, funcionam como o recurso de resolução de problemas, ou seja, eles conseguem mudar os fatos com seus poderes, assim como a "bruxa". Vale destacar a diferença entre os diálogos da bruxa com o Kei e com a Misora, deixando no ar os futuros acontecimentos que os esperam e os seus respectivos problemas. Onde de um lado temos um diálogo mais aberto, apresentando quem realmente é a dita "bruxa" e qual a sua relação com todo aquele contexto apresentado previamente e do outro lado, uma abordagem muito mais filosófica sobre conceitos intrínsecos da Misora, voltando aquela base narrativa do episódio 1 e 2 de progressão da "humanidade" dela.



 E por fim a garota de olhos vermelhos, ela visivelmente tem alguma relação com o protagonista, dando a entender que "fez o que fez" para chamar a atenção do Kei. Sendo o "chiffhanger" que vai mover grande parte do próximo episódio, junto com aquela introdução conceitual do "swampman"(experiência de pensamento filosófico de Donald Davidson), que deve ser utilizada para identificar algum personagem de impacto. Vale ressaltar o trabalho de roteiro desse animê, que é sensacional, eles conseguem inserir tanto conteúdo em um só episódio que eu fico embasbacado e mal consigo apontar todos os detalhes que se sobressaem, de forma que é impossível citar tudo aqui. 



Observações Técnicas

Animação: Muitos quadros estáticos, passagens horizontais para dar senso de movimento e repetição de quadro. 
Direção: bons ângulos de câmera, mas que peca em dar dinâmica e impacto a cena, criando uma monotonia "infernal".
Sonoplastia: trilha sonora muito boa, com uma composição que se destaca e segue o ritmo mais densos dos diálogos, aplicando uma boa carga dramática. Destaque para a dublagem da "bruxa", que cresce em meio a uma cena bem "morta" em aspectos audiovisuais no começo do episódio. 

Avaliação Episódio 6: ★ ★ ★  

***




Nenhum comentário:

Postar um comentário


HGS Anime - 2016